riscos da automedicação riscos da automedicação

Conheça os riscos da automedicação para a sua saúde!

3 minutos para ler

Antigamente, quando a gente ficava doente, era comum usar ervas e raízes para curar. Foi a partir desse conhecimento que muitos medicamentos foram desenvolvidos para agir de forma rápida no organismo das pessoas. Infelizmente, esses remédios podem causar danos ao corpo se tomados de maneira incorreta e muitos ainda não sabem o risco da automedicação.

Nas farmácias brasileiras não é necessário ter receita ou autorização para comprar boa parte dos medicamentos, com isso as pessoas compram de forma desordenada. Todo medicamento, até o mais simples, pode causar danos à saúde caso seja mal administrado ou se misturado com outros remédios.

Confira, a seguir, os riscos da automedicação e por que é tão importante o acompanhamento de um especialista no tratamento de qualquer doença. Boa leitura!

Intoxicação

A dose correta a ser administrada deve levar em consideração alguns fatores, como peso, idade, histórico médico, evolução da doença, entre outros. Por isso é tão importante que o médico ou farmacêutico indique a dose a ser tomada, já que uma quantidade muito grande pode fazer mal e causar mais danos que a própria doença.

Interação medicamentosa

Usar vários medicamentos em conjunto pode causar o que chamam de interação medicamentosa, que é quando um remédio interfere no funcionamento de outro. Os efeitos mais comuns são a intoxicação, a perda de eficácia e o aumento dos efeitos colaterais. Existem medicamentos que interagem com alimentos, como o leite, cafeína ou álcool.

Alergias

Outro risco da automedicação é o de ter uma reação alérgica, que pode aparecer em forma de coceira, vermelhidão, falta de ar, vômitos, entre outros. Muitas pessoas não sabem se são alérgicas a todos os componentes do medicamento e outras podem desenvolver sensibilidade ao longo da vida. A reação pode ser tão intensa que pode levar à morte.

Efeitos colaterais

Todos os medicamentos têm efeitos colaterais que costumam vir na bula, aquele papel que você normalmente joga fora. Antes de o remédio ser comercializado, ele passa por diversos testes para assegurar sua eficácia e verificar quais são os riscos. Apesar de serem raros os efeitos mais graves, eles podem se manifestar de forma diferente de pessoa para pessoa.

Uso sem indicação

Utilizar um remédio sem indicação de um especialista que ainda esteja em fase de teste ou até mesmo que não seja recomendado para aquela aplicação é um risco altíssimo. O medicamento vai atuar no corpo de forma imprevisível, podendo causar efeitos colaterais graves e até mesmo fatais.

Para evitar todos esses riscos da automedicação, a primeira coisa a se fazer é procurar um farmacêutico para aconselhamento. Serão realizados exames para comprovar a doença e o seu desenvolvimento. Apesar de muitos acreditarem ser um gasto desnecessário, é muito mais barato prevenir do que remediar.

Desconfie de boatos e propagandas na televisão, internet, nas ruas ou indicações de conhecidos. Pesquise e procure por testes e provas científicas sobre a eficácia do medicamento. Não existe remédio milagroso, nem um que cure diversas doenças ao mesmo tempo. Não brinque com a sua saúde.

Gostou do nosso post sobre os riscos da automedicação para a sua saúde? Então, assine a nossa newsletter e receba conteúdos exclusivos em seu e-mail!

Posts relacionados

Deixe um comentário